Perfil fake anuncia massacre em escola estadual em Belo Horizonte

A Escola Estadual Celso Machado, no Bairro Milionários, em Belo Horizonte, está sob alerta. Um perfil fake foi criado no Instagram com o objetivo de recrutar pessoas para promover um ataque à instituição de ensino localizada na região do Barreiro.“Que tal um massacre? Ou quem sabe apenas um susto”, escreveu o perfil.  Nas redes sociais, a direção da escola disse que visualizou postagens contendo fotos de armas e munições, incitando a violência dentro da instituição. Nessa quarta-feira (3/8), a ocorrência foi registrada pelo diretor do colégio na 2° Delegacia de Polícia Civil, no Barreiro. Foram entregues imagens com capturas de tela contendo as ameaças.  Procurada pela reportagem, a Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais (SEE-MG) confirmou que a direção escolar acionou imediatamente os órgãos competentes, “como medida preventiva de segurança”. As atividades pedagógicas estão acontecendo normalmente.  Segundo a pasta, a Polícia Militar (PM) intensificou a patrulha na região, com rondas preventivas no entorno da unidade de ensino. A Delegacia Especializada em Investigação de Crime Cibernético também foi acionada.  “Ressaltamos que a SEE/MG desenvolve e estimula a realização de ações de combate à violência no ambiente escolar, além de contar com parcerias em iniciativas dessa temática, como o Programa de Convivência Democrática, que procura defender e garantir os direitos humanos nas escolas, além de promover o respeito às diversidades e uma escola acolhedora, por meio de uma convivência democrática”, afirma a secretaria. 

Perfil fake anuncia massacre em escola estadual em Belo Horizonte
A Escola Estadual Celso Machado, no Bairro Milionários, em Belo Horizonte, está sob alerta. Um perfil fake foi criado no Instagram com o objetivo de recrutar pessoas para promover um ataque à instituição de ensino localizada na região do Barreiro.

“Que tal um massacre? Ou quem sabe apenas um susto”, escreveu o perfil. 
 
Nas redes sociais, a direção da escola disse que visualizou postagens contendo fotos de armas e munições, incitando a violência dentro da instituição. Nessa quarta-feira (3/8), a ocorrência foi registrada pelo diretor do colégio na 2° Delegacia de Polícia Civil, no Barreiro. Foram entregues imagens com capturas de tela contendo as ameaças. 


 
Procurada pela reportagem, a Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais (SEE-MG) confirmou que a direção escolar acionou imediatamente os órgãos competentes, “como medida preventiva de segurança”. As atividades pedagógicas estão acontecendo normalmente. 
 
Segundo a pasta, a Polícia Militar (PM) intensificou a patrulha na região, com rondas preventivas no entorno da unidade de ensino. A Delegacia Especializada em Investigação de Crime Cibernético também foi acionada.  

“Ressaltamos que a SEE/MG desenvolve e estimula a realização de ações de combate à violência no ambiente escolar, além de contar com parcerias em iniciativas dessa temática, como o Programa de Convivência Democrática, que procura defender e garantir os direitos humanos nas escolas, além de promover o respeito às diversidades e uma escola acolhedora, por meio de uma convivência democrática”, afirma a secretaria.